sábado, 17 de setembro de 2016

A vida é como é

Há mais ou menos uns quatro anos, deixei de me interessar pela TV aberta e TV à cabo. Hoje prefiro on demand acho mais prático em um mundo em que o tempo urge. Precisamos otimizar nossas prioridades.
Não acompanho por fim, as telenovelas atuais e pouco me interesso por seus enredos. Não por descaso total, mas como disse, me dedico a outras prioridades. O que me leva hoje a escrever este texto, está correlacionado a o último acontecimento da semana que movimentou o Brasil. Uma tragédia para a família, um alerta para os brasileiros, e uma realidade da vida. Morrer é uma condição dada a todos os seres vivos. E por motivos diversos e em idades também diferentes. Não há lógica para nossa vã filosofia, ali todos tomam conhecimento do que nos espera.
Domingos Montagner parte desta terra para uma nova história, onde o enredo será escrito por Aquele que nos proporcionou o dom da vida. E a vida mesmo estranha por alguns ângulos, no final faz sentido. O drama que este ator desempenhou na novela tornou-se em tragédia literal. E isto assombrou algumas pessoas, outros buscaram motivos para denegrir a imagem do ator, que apesar de sua profissão, é um ser humano. É um irmão em Cristo, e quem nega o próprio irmão a quem vê, não pode amar a Deus o qual não se pode ver. (Com olhos carnais claro, porque Deus pode ser visto de várias formas, depende da sua fé e disposição. Mas esta é outra história.) Outros fizeram piadas. O grau de absorção de uma calamidade para os que ficam, tornou-se em sentimentos um pouco confusos para diversos grupos.
Mas algo me chamou a atenção no fim de semana, um texto onde se diz, que por causa das bruxarias que são feitas nas novelas, e ele ser um exú ou sei lá qual o adjetivo havia no contexto, mas que tudo isso ele estava recebendo o castigo de Deus. Porque a frase inicial do texto era: Com Deus não se brinca. E realmente, com Deus não se brinca! Tenho visto nestes últimos tempos, uma legião de pessoas levadas por todo vento de doutrina, e esquecendo da principal mensagem do Evangelho de Cristo. O Espírito Santo tem sido confundido com um matador, um assassino daqueles que ainda não se arrependeram, e tomaram lugar nas denominações Cristãs espalhadas pelo mundo. Estão confundido “tomar o reino pela força do amor” por “tomar o reino pela força da violência e discriminação”. Os valores mudaram, mas foi predito que nos fins dos tempos o amor se esfriaria de quase todos. E já estamos vendo isso acontecer. Eu fico por entender como usam da tragédia humana para justificar seus atos de desamor contra o próximo.
Toda tragédia é castigo de Deus para os que não fazem parte do seu clã. Enquanto que a tragédia da vida deles é “provação de Deus”. Ensinando o contrário da Palavra que diz: Deus não pode ser provado e não prova ninguém. Somos provados pelas nossas próprias concupiscências. O mal das denominações é que o poder de falar está sendo usado contra o reino de Cristo. E muitos ainda não perceberam o abismo que espera à sua frente. Um pouco de fermento leveda toda a massa. Parece que o evangelho foi trocado pelas bençãos, pela prosperidade e muitas outras coisas a que Jesus disse: buscai primeiro o reino dos céus, e todas as coisas lhe serão acrescentadas. Mas o reino do céu não é mais prioridade. Misericórdia, só para os de “carteirinha cristã”. Bençãos, só para os afortunados que despejam “fortunas” no gazofilácio. Cura, só para os “domingueiros” de plantão. Onde está o orai pelos que vos perseguem? Alimentai o faminto, dei de beber o sedento?
A estes, o “castigo divino” cairá sobre suas cabeças e serão de todos exterminados. Não há mais amor pelo próximo. O preconceito e as diferenças étnicas são suficientes para lançá-lo ao inferno. Jesus disse: Se teus olhos forem luz, grande luz será, mas se forem trevas, quão grandes trevas serão. Se há bruxaria na novela, não é de se espantar, porque TODOS pecaram e carecem da glória de Deus. Em um mundo corrompido, onde somos subjetivos, ou seja, conhecedores do bem e do mal, precisamos compreender que nossas obras carregam medidas boas e medidas más. E isso se reflete em todos os campos da vida. O justo viverá pela fé. Eu preciso compreender que há uma guerra acontecendo em mim, que faz com que por vezes eu haja contrário ao que se espera. Assim disse Paulo: “mas o mal que eu não quero fazer, este eu faço senhor. Mas o bem que eu quero fazer, não consigo meu Deus.” A Palavra também diz: A justa medida. Faça com que o bem seja tão grande em suas obras, até que o mal se torne uma ignomínia no teu ser, você se sentirá envergonhado de praticá-lo.
Volte ao primeiro amor, busque o reino dos céus e coma da árvore da vida que dá o seus frutos de tempos em tempos para aqueles que esperam. Ora, quais são os frutos do reino? São os mesmos frutos do Espírito Santo: amor, gozo, paz, longanimidade, benignidade, bondade, fé, mansidão e domínio próprio. Até quando serás escravo do mal? Se há alguém entre vós ensinado tamanha barbárie, que sinta-se envergonhado. Não há necessidade de abandono da congregação, nem de expulsamento do corpo de Cristo, a real conversão é o arrependimento e a regeneração do homem por ser nova criatura. Disse Jesus: Antes de apontar o cisco no olho do teu irmão, tire primeiro a trave do seu.
Particularmente, não haveria grande necessidade de usar de “tamanhas letras” para expor o que penso sobre o que li na mensagem intitulada: Com Deus não se brinca. Mas nos tempos atuais onde a informação é transferida on-line para milhares de pessoas conectadas pela “rede” que está nos cercando de todos os lados, sinto necessidade de quem sabe, abrir os olhos de alguns para o verdadeiro perigo relacionado a como trata a fé. Para estes grupos que divulgam e alimentam a alma de milhares de pessoas com mensagens com “aparência de piedade, mas negando a eficácia dela”, deus é um ser egocêntrico, que necessita diariamente da nossa adoração, se não ele fica nervoso, e começa a castigar o povo. Este deus deste povo, gosta muito quando você leva o seu dinheiro para a “casa do tesouro”, ou seja, os templos religiosos, e tem Satanás como querubim da guarda para dar a justa medida de castigos para quem não contribuir. Este deus me lembra muito uma passagem onde o diabo diz a Jesus: Se prostrado me adorares o mundo te darei. Mal sabendo o diabo, que o mundo é passageiro e não há dono se não um, que é o Pai. Tudo passa, só Deus permanece imutável. Então caros amigos, cuidado com o deus deste século, com seus prodígios e maravilhas, porque deste, Jesus diz: Vem o príncipe deste mundo, mas ele não tem nada em mim.


Nenhum comentário:

Postar um comentário